quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Contra-Almirante (Ref.) Vítor Manuel Trigueiros Crespo


Com 82 anos de idade faleceu hoje o Contra-Almirante Vítor Manuel Trigueiros Crespo. 
Natural de Porto de Mós, tinha ingressado na Escola Naval em 1952 e durante a sua carreira profissional cumpriu uma comissão de embarque no Estado da Índia, especializou-se em Artilharia, foi professor do 9º Grupo de cadeiras da Escola Naval (Artilharia e Tiro) e comandou a corveta "Jacinto Cândido" em Moçambique. 
Era Capitão-tenente e tinha 42 anos de idade quando integrou o Movimento das Forças Armadas (MFA) que em 25 de Abril de 1974 derrubou o Estado Novo, tendo sido o único oficial da Armada que permaneceu no Posto de Comando do MFA na Pontinha, durante as operações que levaram à queda do regime. Integrou depois a Comissão Coordenadora do MFA e desempenhou as funções de Alto Comissário e Comandante-Chefe das Forças Armadas de Moçambique durante o período da descolonização até à independência moçambicana. A partir de Setembro de 1975 integrou o 6º Governo Provisório presidido pelo Almirante Pinheiro de Azevedo, ocupando a pasta da Cooperação. 
Com a criação do Conselho da Revolução passou a integrar esse orgão até 1982.
De regresso à Marinha veio a desempenhar, já como Contra-Almirante, as funções de Director da Biblioteca Central da Marinha. Embora se tivesse já destacado na sua carreira militar como comandante e como professor, foi a sua corajosa participação no Movimento do 25 de Abril e a sua coerente intervenção cívica durante os anos que se seguiram, em nome dos ideais da paz e da democracia, que o tornaram credor da admiração, não apenas da Marinha, mas  do país em geral.
A Associação 25 de Abril, de que era membro fundador, está de luto, tal como muitos daqueles que privaram com o Almirante Vítor Crespo e dele retêm a imagem de um militar e homem de invulgar carácter e tenacidade.
É sempre dolorosa a perda de um camarada; esta é-o tanto mais quanto o Almirante Vítor Crespo prestou valiosíssimos serviços ao país em circunstâncias particularmente difíceis e constitui para muitos um exemplo de verticalidade e coerência.  
À sua Família expressamos as nossas sentidas condolências.
 
(O corpo do Almirante Vítor Crespo seguirá amanhã, pelas 1700 hrs, para a Basílica da Estrela. O funeral será na sexta-feira, pelas 1200 hrs, para o cemitério do Alto de S.João onde será cremado.)

4 comentários:

  1. Conheci o almirante Vítor Crespo como professor e como militar, mas também como cidadão firme e corajosamente empenhado na democracia. Curvo-me perante a sua memória e exprimo à família as minhas sinceras condolências.

    ResponderEliminar
  2. O almirante Vítor Crespo foi um exemplo de grande coragem e de grande coerência em todo o processo do 25 de Abril. Por isso lhe presto aqui esta pequena homenagem, que ainda há poucos meses tive a oportunidade de pessoalmente lhe fazer, ao mesmo tempo que evoco o excelente professor que “arrasava” o nosso Curso com os seus vastos conhecimentos de Matemática. R. I. P.

    ResponderEliminar
  3. Junto o meu pesar e a minha sentida homenagem a este distinto camarada por quem tinha grande consideração e estima, consolidadas ao longo dos diversos contactos pessoais e profissionais que tivemos antes e depois do 25 de Abril. Paz à sua alma.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.